Sesimbra -

2007
Quem canta de galo quer poleiro

2006
Arrábida Patrimonio de uns, Patrimonio de todos

2005
Luísa Todi – O Canto Do Encanto De Catarina Da Rússia

2004
Atna, Heroína Da Nossa Gente

2003
O Trepa É Uma Festa Na Avenida

2002
Sebastião José de Carvalho E Melo – Um Terramoto Que Abalou Portugal

2001
Chiquinha Gonzaga – Uma História de Vida

2000
O Largo Dos Valentes

1999
Portugal…É O Que Está A Dar

1998
Fado A Alma Do Povo Português – Glória Ás Severas

1997
Samba Alegria De Oxalá

1996
Criança É Única Esperança

1995
Naufrágio do “Menino Deus”

1994
É-CU Mas É Nosso

1993
Amazónia, A Terra Não É Só Tua

1992
Mais Um Grito De Guerra

1991
Património Arquitectónico Re-Construído

1990
Ora Toma – Que Força É Essa

1989
Minha Língua É Minha Pátria

1988
Turismo Prata Da Casa

1987
O Sonho de Zimbra

1986
Sesimbra das Armações

1985
Universo Imaginário

1984
A Nossa Alegria Atravessou o Mar

1982 / 1983
ver galeria

1981
Brilho e Fantasia

1980
Aves do Paraíso

1979
Anos Vinte

 

Fale com o Trepa
 

Sinopse do Carnaval de 1998
Fado A Alma Do Povo Português – Glória Ás Severas

 

 
  2005  
 


Fado alma de uma Nação, grito e lamento sofrido de amor.
Fado cantado em samba, Severas carnivalizadas, Amália senhora única na canção nacional.
O Fado mostrou-se contente e colorido num desfile brilhante e atento aos mais pormenores históricos e pessoais.
O GRES Trepa no Coqueiro mostrou fado em samba, de forma única!.

Ficha Técnica:

Presidente: Jorge Farinha
Presidente da Assembleia: Hélder Miguel
Tema/Enredo: “Fado A Alma Do Povo Português – Glória Ás Severas”
Carnavalesco: João Luís Gatinho
Samba Enredo: Reinaldo Nunes
Director de Bateria: Reinaldo Nunes
Porta Estandarte: Lucinda Simões
Mestre Sala: Fernando Soromenho
Madrinha de Bateria: Tânia Cagica
Chefes de Alas: Sandra Cancela, Clara Westerman João Gatinho, Alexandre Pinto

 

 
 

VÍDEO SAMBA TREPA NO COQUEIRO 1998


 
   
 

 

Letra Samba Enredo


os negros africanos lunduzeiros
batuqueiros, bailarinos de samba
mulatos e crioulos brasileiros
para o rei vêm mostrar o seu fadar

d. joão gostou daquela trova
se encantou com a bela moda

que trouxe para a corte em portugal
e o fado virou rei na capital bis

glória às severas
Amália e Hermínia de outras eras,

olarioléia
como esse não há nenhum
tudo bate em portugal o fado do 31
eu vou no carnaval do fado do 31

príncipe do tejo,
marinheiro por vocação

se arrebata um beijo
a saudade que dá no coração

cântico do povo, um amor como o primeiro

o trepa canta um fado novo
com orgulho de batuqueiro

e assim, para mostrar sua real raiz

o samba abraça o fado
para um enredo mais feliz

toquem guitarras toquem mil violões
que o fado vem aí para alegrar os corações

 

 

© GRES Trepa no Coqueiro 2007 Filmaniac Audiovisuais