Sesimbra -

2007
Quem canta de galo quer poleiro

2006
Arrábida Patrimonio de uns, Patrimonio de todos

2005
Luísa Todi – O Canto Do Encanto De Catarina Da Rússia

2004
Atna, Heroína Da Nossa Gente

2003
O Trepa É Uma Festa Na Avenida

2002
Sebastião José de Carvalho E Melo – Um Terramoto Que Abalou Portugal

2001
Chiquinha Gonzaga – Uma História de Vida

2000
O Largo Dos Valentes

1999
Portugal…É O Que Está A Dar

1998
Fado A Alma Do Povo Português – Glória Ás Severas

1997
Samba Alegria De Oxalá

1996
Criança É Única Esperança

1995
Naufrágio do “Menino Deus”

1994
É-CU Mas É Nosso

1993
Amazónia, A Terra Não É Só Tua

1992
Mais Um Grito De Guerra

1991
Património Arquitectónico Re-Construído

1990
Ora Toma – Que Força É Essa

1989
Minha Língua É Minha Pátria

1988
Turismo Prata Da Casa

1987
O Sonho de Zimbra

1986
Sesimbra das Armações

1985
Universo Imaginário

1984
A Nossa Alegria Atravessou o Mar

1982 / 1983
ver galeria

1981
Brilho e Fantasia

1980
Aves do Paraíso

1979
Anos Vinte

 

Fale com o Trepa
 

Sinopse do Carnaval de 2005
Luísa Todí – O Canto Do Encanto De Catarina Da Rússia

 

 
  2005  
 


Luísa Rosa De Aguiar Todí deslumbrou Reis, Rainhas, Czares e tornou-se a predilecta de Catarina Da Rússia.
Cantou para multidões em toda a Europa que a tornaram diva.

Ficha Técnica:

Presidente: Paulo Penim
Presidente da Assembleia: João Carlos Rosa
Tema/Enredo: “Luísa Todí – O Canto Do Encanto De Catarina Da Rússia”
Carnavalesco: Paulo Macedo
Samba Enredo: Tércio Borges
Director de Bateria: João Paulo
Director Artístico: Eduardo Cunha
Porta Estandarte: Ana Isabel
Mestre Sala: Fernando Soromenho
Madrinha de Bateria: Soraia Cunha
Chefes de Alas: Daniela Martins, Graça Antanças, Genoveza Rosendo, Carla Figueiredo, Irene, Júlia Gonçalves, Emília Farinha, Eduardo Cunha Carlos, Paulo Venâncio

 

 
 

VÍDEO SAMBA TREPA NO COQUEIRO 2005
Enredo: José António Silva

 
   
 

 

Letra Samba Enredo


Vamos homenagear quem sempre cantou, para encantar
Sua voz, sua canção, sem fronteiras ou bandeiras
Luísa Todí nasceu a brilhar
Começou em Portugal, a carreira triunfal
Da maior cantora do seu tempo
E assim passo a passo, de grão em grão
Foi colhendo uma legião de admiradores
Poetas do velho mundo,escritores do mundo novo
Actores, pintores, cantores, o povo
A nobreza beijou a sua mão “Luísa é a cantora da nação”

Catarina da Rússia se encantou
Frederico da Prússia se apaixonou
Por seu encanto que hoje ecoa em Portugal
Luísa Todí a diva do meu Carnaval

Beethoven tocou em sua homenagem
Veneza chorou de emoção
Paris se rendeu a paixão
Musa, prima donna lusa
De olhos que já sem ver, sente no coração

Quem sabe sabe, sabe ver quem é que pode
Eu sou o trepa eu sou Luísa Todí

Mas quem gerou esta flor e não soube cuidar em vida
Faz parte de nossa história a nossa Luísa querida

Misturei opereta, funk, baião
Trepa no coqueiro e bate na palma da mão

 

 

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

2005

© GRES Trepa no Coqueiro 2007 Filmaniac Audiovisuais