Sesimbra -

2007
Quem canta de galo quer poleiro

2006
Arrábida Patrimonio de uns, Patrimonio de todos

2005
Luísa Todi – O Canto Do Encanto De Catarina Da Rússia

2004
Atna, Heroína Da Nossa Gente

2003
O Trepa É Uma Festa Na Avenida

2002
Sebastião José de Carvalho E Melo – Um Terramoto Que Abalou Portugal

2001
Chiquinha Gonzaga – Uma História de Vida

2000
O Largo Dos Valentes

1999
Portugal…É O Que Está A Dar

1998
Fado A Alma Do Povo Português – Glória Ás Severas

1997
Samba Alegria De Oxalá

1996
Criança É Única Esperança

1995
Naufrágio do “Menino Deus”

1994
É-CU Mas É Nosso

1993
Amazónia, A Terra Não É Só Tua

1992
Mais Um Grito De Guerra

1991
Património Arquitectónico Re-Construído

1990
Ora Toma – Que Força É Essa

1989
Minha Língua É Minha Pátria

1988
Turismo Prata Da Casa

1987
O Sonho de Zimbra

1986
Sesimbra das Armações

1985
Universo Imaginário

1984
A Nossa Alegria Atravessou o Mar

1982 / 1983
ver galeria

1981
Brilho e Fantasia

1980
Aves do Paraíso

1979
Anos Vinte

 

Fale com o Trepa
 

Sinopse do Carnaval de 2007
Quem canta de galo quer poleiro

 

 
  2005  
 


Em muitas tradições religiosas, incluindo as três grandes religiões monoteístas, o galo é uma criatura celestial e votiva, simbolizando a ressurreição solar e espiritual e com o seu canto anuncia a entrada do novo dia depois de um período de trevas.
Este enredo pretende espelhar todos esses assuntos e dogmas das nossas sociedades expondo todos os seus malefícios, injustiças e demais prevaricações, incluindo uma nefasta utilização do poder por muitos dos quadrantes políticos, sociais, económicos e religiosos fazendo muitas vezes com que parte da Humanidade se sinta nas trevas.A figura do Galo aparece como ícone da Luz, pela força simbólica da justiça, símbolo de união nacional, religioso, de sapiência, concertador e intermediário. O símbolo do Galo foi adoptado por povos e nações como sinónimo de grandes e nobres causas, de bravura e tenacidade na luta pela liberdade e sempre na defesa na luta do Bem contra O Mal.
Além de indissociável alegria e festividade como pretende este enredo, o galo assume uma grande forma de expressão cultural como sendo um dos factores mais importantes para a identificação e unidade de um povo. A sua manutenção exige o esforço colectivo na transmissão de valores, crenças, padrões, e comportamento do grupo para novas gerações.
O Canto do Galo chega para despertar a humanidade do seu sonambulismo e nos faz vislumbrar uma nova aurora, onde nada será como antes.
Galo o signo do Sol

Bem Hajam
O Carnavalesco

Ficha Técnica:

Presidente: Jorge Farinha
Presidente da Assembleia: João Carlos Rosa
Tema/Enredo: “Quem canta de galo quer poleiro”
Carnavalesco: Diamantino Paulino
Samba Enredo: Tércio Borges
Director de Bateria: Ricardo Custódio
Director Artístico: Eduardo Cunha
Porta Estandarte: Ana Isabel
Mestre Sala: Fernando Soromenho
Madrinha de Bateria: Ana Maria Soromenho
Chefes de Alas: Daniela Martins, Graça Antanças, Genoveza Rosendo, Carla Figueiredo, Irene, Júlia Gonçalves, Emília Farinha, Eduardo Cunha Carlos, Paulo Venâncio

 

 
 


 
   
 

 

 

 

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

2007

© GRES Trepa no Coqueiro 2007 Filmaniac Audiovisuais